STATE AND THE LIBERALIZATION OF THE BRAZILIAN ECONOMY

Carlos Alberto Longo

Resumo


Este artigo argumenta que o último plano de estabilização implantado com sucesso no Brasil coincidiu com as reformas institucionais realizadas em 1964/65, na administração de Castelo Branco. Essas mudanças promoveram uma década de crescimento econômico acelerado, que termino abruptamente. Erros de decisões políticas em 1979/80 e durante a administração Samey contribuíram para a estagflação dos anos oitenta. Desequilíbrios macroestruturais
geraram erosão da receita publica e aumento dos atrasados da dívida externa, comprometendo a eficácia das políticas monetárias e fiscais. Tentativas de estabilizar o nível de preços e de realizar mudanças institucionais durante o Governo Collor falharam em virtude da adoção de políticas incoerentes e da ausência de um plano de desenvolvimento coerente. Não sendo acompanhados por medidas permanentes de ajuste fiscal e reformas estruturais importantes, os avanços observados nos programas de liberalização, privatização e desregulamentação podem ser abortados e conduzir a uma dispendiosa desindustrialização do País.

Palavras-chave


State. Liberalization. Brazilian economy.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2176-5456.10424



 
.........................................................................................................................................................................................................................

Indexadores


 PROPESQ  PROPESQ PROPESQ   PROPESQ      PERIÓDICOS UFRGS


 
.........................................................................................................................................................................................................................

Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Faculdade de Ciências Econômicas
Revista Análise Econômica
ISSN 0102-9924 / e-ISSN 2176-5456