A CONTROVERSIA SOBRE O EXCESSO DE CAPACIDADE NO MODELO DE CONCORRÊNCIA MONOPOLÍSTICA

João Rogério Sansón

Resumo


Em 1959, Harold Demsetz iniciou uma controvérsia ao demonstrar a possibilidade da inexistência de excesso de capacidade na posição de equilíbrio a longo prazo da firma no modelo de concorrência monopolística, onde exista um grande número de firmas em cada grupo de produto. Somente a partir de 1970 é que surgiram algumas contestações importantes ao resultado de Denisetz, embora na forma de novas demonstrações do teorema do excesscrde capacidade, sem nenhum ataque direto à demonstração de 1959. O propósito do presente trabalho é mostrar que o aparecimento de resultados contlitivos decorreu de diferentes juízos de valor sobre qual deveria ser o nível ideal de produção para fins de medição do excesso de capacidade. A fim de fazer essa demonstração, o autor sumaria os principais trabalhos envolvidos na controvérsia. Apresenta, também, uma versão algébrica do modelo geométrico utilizado por Demsetz para explicar a natureza do equilíbrio sob concorrência monopolística.

Palavras-chave


Concorrência monopolística. Excesso de capacidade.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2176-5456.10294



 
.........................................................................................................................................................................................................................

Indexadores


 PROPESQ  PROPESQ PROPESQ   PROPESQ      PERIÓDICOS UFRGS


 
.........................................................................................................................................................................................................................

Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Faculdade de Ciências Econômicas
Revista Análise Econômica
ISSN 0102-9924 / e-ISSN 2176-5456