Efeito do congelamento sobre a viabilidade de células leveduriformes

Andréia Spanamberg, Edna Maria Cavallini Sanches, Jennifer Hummel, Patrícia Valente

Abstract


O controle de produtos de origem animal está diretamente associado à sanidade animal e à saúde pública. Na suspeita de mastite, tanto bacteriana quanto micótica, o congelamento de amostras de leite permite aumentar o período de tempo para análise microbiológica, permitindo um correto diagnóstico laboratorial. As leveduras são os principais agentes ambientais envolvidos na mastite micótica. O objetivo do presente trabalho foi verificar se o congelamento afeta a recuperação de leveduras potencialmente presentes no leite. Foram utilizados seis isolados:

 

 

Rhodotorula sp. (L1), Geotrichum sp. (L2), Cryptococcus sp. (L3), Candida tropicalis (L4) e Candida albicans (L5), oriundos de leite in natura, e um isolado de C. parapsilosis (ATCC 22019). Após a inoculação experimental, as amostras foram congeladas durante 10 dias, 3, 6 e 8 semanas. O congelamento do leite por períodos superiores a 10 dias causou redução no número de células viáveis. Sugerimos que sejam utilizados períodos mais curtos de congelamento para a análise micológica do leite.


Keywords


Mastite micótica; Leite congelado; Viabilidade celular; Leveduras



DOI: https://doi.org/10.22456/1679-9216.17245

Copyright (c) 2018 Andréia Spanamberg, Edna Maria Cavallini Sanches, Jennifer Hummel, Patrícia Valente

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.