Análise epidemiológica de um surto de mastite bovina em uma propriedade leiteira no Estado do Rio Grande do Sul

Aline Gil Alves Guilloux, Marisa Ribeiro de Itapema Cardoso, Luis Gustavo Corbellini

Abstract


A mastite bovina é responsável por grandes prejuízos econômicos em rebanhos leiteiros em todo o mundo devido à diminuição da produção de leite, gastos com medicação, descarte e perda na qualidade do leite. O objetivo do trabalho foi de analisar, através de métodos epidemiológicos, um surto de mastite bovina ocorrido em uma propriedade leiteira no Estado do Rio Grande do Sul. O rebanho apresentava um aumento da incidência de mastite clínica caracterizado por grumos no leite. Foi feito CMT em todos os animais em lactação e os resultados do teste registrados para cada quarto mamário em uma escala subjetiva, que variou de zero (sem alteração), traços, uma, duas ou três cruzes (de acordo com a intensidade de formação de gel). Foram coletadas amostras de leite para exame bacteriológico de todos os quartos mamários com resultados de duas e três cruzes no CMT, sendo que 33,5% dos animais (136/405) apresentaram contagem de célula somática (CCS) acima do ponto de corte estipulado em pelo menos um quarto mamário. De 149 amostras de leite coletadas, 33% (44/126) revelaram crescimento de

 

 

Sthaphylococcus aureus ou Streptococcus agalactiae. O risco de desenvolver mastite foi maior em vacas com maior produção média de leite (p = 0,00765) e o risco de um animal apresentar mastite contagiosa (S. aureus e S. agalactiae) foi maior com o tempo de lactação (p = 0,042). Através da investigação epidemiológica, concluiu-se que o surto foi provavelmente causado pela introdução de animais infectados no rebanho.


Keywords


Bovinos; Epidemiologia; Mastite; Surto



DOI: https://doi.org/10.22456/1679-9216.17236

Copyright (c) 2018 Aline Gil Alves Guilloux, Marisa Ribeiro de Itapema Cardoso, Luis Gustavo Corbellini

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.