A concentração, a composição e a qualidade do plasma seminal na preservação do sêmen a + 4º C

Frederico Lança Schmitt

Abstract


O presente trabalho constou de três experimentos. O primeiro objetivou verificar a influência de diferentes concentrações de plasma seminal e de dois diluentes na motilidade e na integridade e funcionalidade da membrana plasmática de espermatozóides eqüinos resfriados. Para tanto, foram utilizados 4 garanhões, comprovadamente férteis e em atividade sexual. Imediatamente após a coleta, o sêmen foi avaliado, diluído 1:2 com EDTA-glicose, dividido em oito alíquotas e centrifugado a 600g, por 10 minutos, para remoção do plasma seminal. O

 

 

pellet de cada alíquota foi ressuspendido com um determinado volume do plasma seminal, previamente removido e acrescido de um determinado volume de um dos dois diluente (leite desnatado UHT ou leite desnatado-glicose) até atingir uma concentração final entre 40 e 50x106espermatozóides/ml, contendo as seguintes concentrações finais de plasma seminal: 0%, 2,5%, 5% e 10%. Imediatamente após a diluição, o sêmen foi avaliado quanto à motilidade progressiva e total e funcionalidade e integridade da membrana plasmática. A seguir, os oito frascos contendo o sêmen, com um volume aproximado de 12 ml cada, foram resfriados em câmara a +4ºC a uma taxa de resfriamento de 0,3º C/min, sendo o sêmen novamente avaliado às 24, 48 e 72 horas. O segundo experimento objetivou verificar o perfil protéico do plasma seminal de garanhões de alta fertilidade e de baixa fertilidade. Para tanto, foram utilizados 4 garanhões, sendo 2 com boa qualidade de sêmen e dois com baixa qualidade de sêmen. Após a coleta o sêmen foi centrifugado duas vezes a 3000g por 20 minutos para retirar o plasma seminal e este foi congelado a -196oC. No momento da realização da eletroforese bidimensional, o plasma foi descongelado à temperatura ambiente, novamente centrifugado a 10000g por 1 hora, e sua proteína mensurada. O terceiro experimento objetivou verificar a influência do plasma seminal de garanhões com baixa qualidade espermática na motilidade e integridade e funcionalidade de membrana plasmática de espermatozóides de garanhões com alta qualidade espermática e vice-versa. Para tanto, foram  utilizados 4 garanhões, dois com alta qualidade (AQ) e dois com baixa qualidade de sêmen (BQ). Os garanhões tiveram seu sêmen previamente coletado para realizar um banco de plasma seminal. Para tanto, o sêmen foi centrifugado duas vezes a 3000g por 20 minutos, dividido em alíquotas de 1,5 ml, identificado e congelado a -196oC. Quando da utilização, o plasma seminal foi descongelado em banho-maria a +37oC. Foram realizadas 5 coletas de sêmen de cada garanhão. Imediatamente após a coleta, o sêmen foi avaliado e diluído 1:2 com EDTA-glicose, dividido em cinco alíquotas e centrifugado a 600g, por 10 minutos, para remoção do plasma seminal. O pellet de cada alíquota recebeu com uma determinada quantidade de plasma seminal, do banco de plasma, e um determinado volume de Leite UHT, até atingir uma concentração final entre 40 a 50x106 espermatozóides/ml. Nos garanhões de alta e de baixa qualidade de sêmen, foi acrescido ao pellet, após a centrifugação, plasma seminal de garanhões de baixa (BQ) e de alta (AQ) qualidade de sêmen, em concentrações finais de 0% 2,5% e 5%. Imediatamente após a diluição, o sêmen foi avaliado quanto à motilidade progressiva e total e funcionalidade e integridade de membrana plasmática. A seguir, os dez frascos contendo o sêmen, com um volume aproximado de 12 ml cada, foram resfriados em incubadora, a +4ºC e reavaliado às 24h, 48h e 72h horas. Concluiu-se que concentrações de até 5% de plasma seminal não afetam a motilidade, a funcionalidade e a integridade de membrana plasmática dos espermatozóides; concentrações de 2,5% de plasma seminal provenientes de garanhões de alta qualidade de sêmen melhoram a motilidade espermática de garanhões de baixa qualidade de sêmen; concentrações de 2,5% de plasma seminal melhoram os percentuais de funcionalidade e integridade de membrana As bandas protéicas 5 e 19 do plasma seminal não foram identificadas nos garanhões de baixa qualidade de sêmen; as bandas protéicas 3 e 17 apresentaram densidade óptica superior nas amostras de garanhões de baixa qualidade de sêmen, enquanto que a banda protéica 31 foi superior nos animais de alta qualidade, constituindo-se em prováveis marcadores de qualidade do sêmen. A utilização de leite desnatado UHT proporcionou melhores resultados de motilidade e integridade de membrana, em comparação ao leite-glicose.


Keywords


Sêmen eqüino; Plasma seminal; Sêmen resfriado; Eletroforese; Proteínas



DOI: https://doi.org/10.22456/1679-9216.17091

Copyright (c) 2018 Frederico Lança Schmitt

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.