Relação entre a população linfocitária bursal e o diâmetro da Bolsa de Fabrício em frangos de corte

Rosecler Alves Pereira

Abstract


A doença de Gumboro (DG) subclínica é uma das doenças que mais onera a avicultura por causar imunodepressão. O seu diagnóstico deve ser suportado por exame histopatológico da bolsa de Fabrício (BF), estudo determinação do nível de anticorpos ou por isolamento e caracterização viral. A campo, é comum o uso de programas de monitoria da DG realizados através da bursometria, nos quais, através da atribuição de escores de diâmetro de BF, determina-se a eficácia de um programa de vacinação. Este trabalho objetivou relacionar os achados de histopatologia e diâmetro de BF com os diferentes parâmetros produtivos de lotes de frangos em uma empresa integradora no Rio Grande do Sul, na tentativa de melhorar os programas de monitoria da BF. Aves (537) de 18 lotes distintos foram apanhadas no 28º dia de vida, sacrificadas e necropsiadas; as BFs foram coletadas, submetidas à bursometria, e após fixadas em formalina tamponada a 10% para exame histopatológico. Todas as aves foram vacinadas contra a doença de Gumboro com cepa intermediária. Foram utilizadas duas vacinas comerciais (A e B), separadamente ou em conjunto (A+B). A relação entre os escores de diâmetro de BF, histopatológico e marcas de vacinas utilizadas foi determinada pelo teste de Qui-quadrado. Os dados de parâmetros produtivos, conforme as categorias dos escores histopatológicos de BF e marcas de vacina, foram submetidos à análise de variância, tendo sido utilizado como teste de comparação de médias o Teste de Tukey (p<0,05). Através dos resultados verificou-se que: (1) o exame histopatológico confirmou 60% dos escores de diâmetro da BF; (2) a bursometria não foi capaz de identificar BFs que apresentavam escore histopatológico compatível com doença (DH); (3) a vacina A foi a que possuiu menor número de aves incluídas na categoria de escore de diâmetro vacinal (VB). No entanto, no exame histopatológico não houve diferença significativa entre as marcas A e B, na categoria vacinal (VH); (4) lotes vacinados com a marca A apresentaram os piores parâmetros de produção e (5) não houve diferença nos parâmetros produtivos das três categorias de escore histopatológico com exceção da taxa de mortalidade que foi menor em aves com histológico de BF normal (NH).


Keywords


Doença de Gumboro; Bursometria; Histopatologia; Avicultura



DOI: https://doi.org/10.22456/1679-9216.17090

Copyright (c) 2018 Rosecler Alves Pereira

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.