Exame histopatológico do endométrio da égua após infecções experimentais repetidas e cinco diferentes tratamentos: aspectos inflamatórios

Andrea Keller, Adriana Pires Neves, Heike Aupperle, Katja Steiger, Heinz-Adolph Schoon, Erich Klug, Ricardo Macedo Gregory, Rodrigo Costa Mattos

Abstract


A endometrite é uma importante causa de subfertilidade na égua. O objetivo deste trabalho foi verificar o efeito de diferentes tratamentos sobre o endométrio de éguas infectadas experimentalmente. Foram utilizadas vinte éguas resistentes, com histórico reprodutivo desconhecido, e cinco éguas susceptíveis, com histórico de endometrites recorrentes e subfertilidade. Após o primeiro exame histopatológico os ciclos foram sincronizados com prostaglandina. Na fase estral, as éguas foram infectadas com 1 x 10

 

9 Streptococcus equi. Vinte e quatro horas após a infecção, os animais eram submetidos aos exames clínico, bacteriológico e citológico. Constatada a presença de sinais clínicos de endometrite, os grupos de éguas foram distribuídos entre cinco diferentes tratamentos: leucócitos frescos, leucócitos congelados, leucócitos lisados, Interleucina-8 e grupo controle. As éguas foram tratadas diariamente, por no máximo, quatro dias, ou até que o exame bacteriológico não evidenciasse o crescimento de Streptococcus. No quinto dia, as éguas eram então submetidas a novo exame histopatológico e, no sétimo, dia todas as éguas eram tratadas com penicilina, independentemente de terem eliminado a infecção ou não. Sete dias após, as éguas eram novamente submetidas a exame histopatológico e sincronizadas para realizar uma nova infecção e novo tratamento. As biópsias foram avaliadas quanto à endometrite. Conclui-se que éguas susceptíveis à endometrite, com presença de Streptococcus no útero, não apresentam neutrofilia após cinco dias de infecção. Provavelmente o menor tempo de eliminação bacteriana observado nos tratamentos com leucócitos frescos e congelados deva-se a outros fatores que não o efeito quimioatraente dessas células.


Keywords


Éguas; Endometrite; Plasma; Leucócitos; Biópsia endometrial



DOI: https://doi.org/10.22456/1679-9216.16900

Copyright (c) 2018 Andrea Keller, Adriana Pires Neves, Heike Aupperle, Katja Steiger, Heinz-Adolph Schoon, Erich Klug, Ricardo Macedo Gregory, Rodrigo Costa Mattos

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.