Microbiota conjuntival de cães hígidos e com afecções oftálmicas

Luana Gabriela Ferreira dos Santos, Arleana do Bom Parto Ferreira de Almeida, Maria Cristina da Silva, Juçara Tinasi de Oliveira, Valéria Dutra, Valéria Régia Franco Sousa

Abstract


A conjuntiva é considerada a membrana mais exposta do organismo, possui grande importância na dinâmica ocular, mantém relação direta com o meio externo e atua na proteção mecânica do bulbo ocular. Existem micro-organismos que ajudam na sua defesa e, juntamente com fatores humorais, inibem o estabelecimento de agentes patogênicos. O objetivo deste trabalho foi avaliar a microbiota conjuntival de cães hígidos e com afecções oculares. Foram avaliados 100 cães (50 com afecção ocular e 50 hígidos), com ou sem raça definida, oriundos do atendimento clínico-médico do Hospital Veterinário da Universidade Federal de Mato Grosso. Após a contenção adequada dos animais, foi realizada limpeza ocular e colheita de material do saco conjuntival inferior, com auxílio de suabes estéreis, para isolamento e identificação de bactérias e fungos. Os resultados obtidos indicam que a bactéria de maior ocorrência, dentre os animais hígidos, foi

 

Bacillus spp., enquanto o Staphylococcus intermedius foi mais observado nas afecções oculares. O fungo de maior ocorrência foi Candida spp. O estudo apontou que houve variação da microbiota conjuntival devido às afecções oculares, sendo observada diferença estatisticamente significativa entre os animais hígidos e oftalmopatas quanto à presença de Bacillus sp. e Escherichia coli.


Keywords


Cães; Microbiota conjuntival; Afecção ocular



DOI: https://doi.org/10.22456/1679-9216.16245

Copyright (c) 2018 Luana Gabriela Ferreira dos Santos, Arleana do Bom Parto Ferreira de Almeida, Maria Cristina da Silva, Juçara Tinasi de Oliveira, Valéria Dutra, Valéria Régia Franco Sousa

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.