Relação entre condição corporal de fêmeas suínas ao primeiro parto e ao desmame e a produção de leitões no segundo parto

André Cavalheiros Schenkel

Abstract


O objetivo deste estudo foi avaliar a influência do número de leitões paridos e desmamados no primeiro parto, das reservas corporais ao parto e a perda das reservas corporais durante a lactação sobre a produção de leitões no segundo parto. Foram analisadas 1222 fêmeas que chegaram ao segundo parto sem interrupções como retorno ao estro, abortamento ou vazias ao parto. Foram medidos o peso corporal, espessura de toucinho (ET) e escore corporal visual (ECV), no máximo 24 horas pósparto e no dia do desmame. Foram calculadas a gordura e a proteína corporal ao parto e ao desmame para, posteriormente, serem obtidos os valores com relação às perdas destas reservas. O total de leitões nascidos no primeiro e no segundo partos e o número de leitões desmamados foram analisados de acordo com as características corporais e produtivas das fêmeas no primeiro parto e primeiro desmame. O tamanho de leitegada no primeiro e no segundo partos foram, respectivamente, 12,4 leitões e o de 9,7 leitões nascidos totais. Na média, as fêmeas apresentaram redução de 18,6 kg (9%) de peso corporal, 3,1mm de ET e 0,8 de ECV durante a lactação. O tamanho da leitegada no segundo parto não diferiu entre as classes das variáveis, peso, ET, ECV, gordura e proteína corporal no primeiro parto (P>0,05). As fêmeas com peso acima de 178kg, ET (=16), ECV (=3,0) e gordura corporal (=21%) ao desmame tiveram maior leitegada no segundo parto e menor diferença no número de nascidos entre o primeiro e segundo parto (P<0,05). Fêmeas com maior percentual de proteína corporal ao desmame (=15%) tiveram maior número de leitões nascidos na segunda leitegada. Houve maior diminuição no tamanho da segunda leitegada nas fêmeas com perdas de peso corporal acima de 10% (P<0,05). Perdas de proteína ou de gordura corporal acima de 10% e de 23%, respectivamente implicaram uma maior diminuição no número de leitões nascidos no segundo parto (P<0,05). As fêmeas da Classe 2 produziram mais leitões, tanto no primeiro quanto no segundo parto, e tiveram menores perdas percentuais de peso, proteína, gordura e ECV entre o parto e o desmame (P<0,05). A perda de reservas corporais durante a lactação de primíparas influencia a redução do tamanho da leitegada no segundo parto.


Keywords


Tamanho da leitegada; Lactação; Perda de peso; Desmame; Desempenho reprodutivo; Fêmeas suínas



DOI: https://doi.org/10.22456/1679-9216.16206

Copyright (c) 2018 André Cavalheiros Schenkel

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.