Remoção cirúrgica de nódulos de Spirocerca lupi

Ana Maria Quessada, Francisco Lima Silva, André Braga de Souza, Antonio Augusto Rodrigues de Sousa

Abstract


A espirocercose, causada pelo parasito

 

Spirocerca lupi, é considerada sub-clínica, sendo, na maioria das vezes, diagnosticada na necropsia. O exame endoscópio é o mais indicado no diagnóstico, mas a radiografia também pode auxiliar. O tratamento pode ser clínico ou cirúrgico. O presente trabalho tem o objetivo de descrever o tratamento cirúrgico de nódulos de Spirocerca lupi em um cão. Foi selecionada para fazer parte de uma pesquisa uma cadela sem raça definida, adulta. Foi realizado exame clínico e radiografia contrastada do esôfago com resultados normais. O animal foi submetido a esofagotomia torácica. Durante o trans-operatório foram constatados no esôfago grandes nódulos de Spirocerca lupi, os quais foram removidos. O esôfago foi suturado em pontos separados simples em plano único. A cavidade torácica foi fechada de forma rotineira. A dieta pós-operatória constou de líquidos por três dias, alimentos pastosos por mais três dias e a seguir ração comercial. A cadela foi acompanhada durante noventa dias e não apresentou alterações clínicas dignas de nota O animal se recuperou completamente. Concluiu-se que nódulos de Spirocerca lupi podem ser removidos cirurgicamente com êxito. O exame clínico e radiográfico não foram suficientes para diagnóstico da espirocercose no caso relatado.


Keywords


Spirorerca lupi; Canino; Esôfago; Cirurgia; Espirocercose



DOI: https://doi.org/10.22456/1679-9216.16138

Copyright (c) 2018 Ana Maria Quessada, Francisco Lima Silva, André Braga de Souza, Antonio Augusto Rodrigues de Sousa

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.