Determinação do cortisol sérico em terneiras aberdeen angus no desmame precoce e tradicional e seus desempenhos reprodutivos até o primeiro parto

Marcelo Maronna Dias, Francisco Luiz Rodrigues Lhullier, Fabrício de Azevedo Velho, Ana Paula de Oliveira, Paulo Michel Roehe

Abstract


O desmame precoce pode ser uma alternativa para aumentar a eficiência reprodutiva. Cabe investigar possíveis efeitos estressores que desencadeiam respostas neuroendócrinas inespecíficas, liberando glicocorticóides (cortisol). Este estudo visou determinar as taxas fisiológicas do cortisol sérico em terneiras e examinar as possíveis variações que pudessem ocorrer em função do desmame. Um grupo (n=24) submetido ao desmame com 90 dias pós-parto (precoce) e o outro (n=24) com 210 dias (tradicional). Coletou-se soro aos 80 (precoce) e 180 dias (tradicional) para determinar os níveis basais de cortisol antes do desmame. Para avaliar as variações do cortisol sérico pós-desmame, foram feitas coletas 24, 48, 72 e 168 horas pós-desmame sempre pela manhã em função do ritmo circadiano. As determinações do cortisol sérico foram feitas por radioimunoensaio. Os animais foram pesados aos 90, 210, 365 e 730 dias. O desempenho reprodutivo dos animais foi acompanhado pela análise das taxas de prenhez e de perdas de conceptos até o primeiro parto previsto. Os resultados mostraram que os valores de cortisol sérico no grupo precoce, elevaram-se de 0,22±0,25 ug/dl em níveis basais para 0,71±0,64 ug/dl nas 24 horas pós-desmame, baixando para 0,26±0,30 ug/dl em uma semana. No grupo tradicional elevaram-se de 0,91±0,43 ug/dl em níveis basais para 1,94±0,89 ug/dl nas 24 horas, baixando para 0,99±0,46 ug/dl em uma semana. O trabalho mostrou elevação nos níveis séricos de cortisol nas primeiras 24 horas pós-desmame, retornando a níveis fisiológicos após uma semana em ambos os grupos; o grupo desmamado tradicionalmente teve um ganho de peso superior (P<0,001); no desempenho reprodutivo não houve diferenças significativas nas taxas Reproduçãode prenhez e de perdas.


Keywords


Estresse; Cortisol; Terneiros; Desmame precoce; Desmame tradicional



DOI: https://doi.org/10.22456/1679-9216.15473

Copyright (c) 2018 Marcelo Maronna Dias, Francisco Luiz Rodrigues Lhullier, Fabrício de Azevedo Velho, Ana Paula de Oliveira, Paulo Michel Roehe

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.