Histogramas de parição e o desempenho reprodutivo de vacas de corte

Cristiane Reinher, Ricardo Pedroso Oiagen, Júlio Otávio Jardim Barcellos, Alexandre Meyer, Enio Rosa Prates, José Braccini Neto, Jaime Cobucci

Abstract


A distribuição dos partos em vacas de corte, durante a estação de parição, está relacionada com o desempenho reprodutivo final do rebanho de cria, sendo um dos principais fatores a influenciar na rentabilidade do sistema de produção no sul do Brasil. O objetivo do presente trabalho foi avaliar o efeito do histograma de parição (HP) sobre a taxa de prenhez (TP) de 1.314 vacas de corte primíparas e 4.519 multíparas Hereford e cruzas Hereford-Nelore, no período de 1997 a 2004, numa criação comercial, utilizando o programa estatístico SPSS. Houve efeito significativo (P<0,05) entre anos em relação à TP. Os HP no rebanho avaliado estão distantes do modelo ideal. A ocorrência de limitações climáticas no acasalamento diminuiu a taxa de prenhez, contudo o efeito foi de menor magnitude quando o HP de parição foi mais concentrado nos primeiros 42 dias. As vacas primíparas apresentaram histogramas com grande concentração de partos no início da estação. Deste modo foram menos sensíveis às adversidades climáticas do que as multíparas. Portanto, o histograma de parição tem um efeito na taxa de prenhez subseqüente, especialmente nas situações onde ocorrem limitações nutricionais no pós-parto ou durante o acasalamento.


Keywords


Vacas de cria; Primíparas; Multíparas; Parição;Taxa de prenhez



DOI: https://doi.org/10.22456/1679-9216.15464

Copyright (c) 2018 Cristiane Reinher, Ricardo Pedroso Oiagen, Júlio Otávio Jardim Barcellos, Alexandre Meyer, Enio Rosa Prates, José Braccini Neto, Jaime Cobucci

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.