Toxicidade in vitro de plantas tóxicas: avaliação do teste de ação hemolítica

Nebson Fernandes Pequeno, Benito Soto-Blanco

Abstract


As plantas tóxicas são importantes causas de patologias em animais de interesse pecuário no Brasil. Para que umaplanta apontada como responsável por intoxicações acidentais venha a ser classificada como espécie tóxica, sua toxicidade deve ser comprovada experimentalmente em animais. No entanto, a sociedade atual vem clamando por redução na utilização de animais em pesquisas científicas, fazendo com que testes de toxicidade

 

 

in vitro sejam cada vez mais empregados. Como falta validação para o uso destes testes para avaliação de plantas tóxicas, seu uso prático se torna inviável. Assim, o objetivo do presente trabalho foi avaliar a eficácia do teste de ação hemolítica in vitro para avaliação preliminar da toxicidade de plantas, usando espécies com toxicidade conhecida. As espécies de plantas usadas foram Crotalaria retusa, Ipomoea asarifolia, Ipomoea fistulosa, Datura stramonium, Nerium oleander, Ricinus communis, Lantana camara, Dieffenbachia picta e Alocacia sp. e Calotropis procera. Todas estas amostras foram submetidas à avaliação da ação hemolítica in vitro, utilizando-se uma suspensão de eritrócitos de eqüino. Nenhuma das plantas utilizadas apresentou este efeito hemolítica. Assim, é possível afirmar que a utilização do teste de hemólise in vitro é ineficaz para a avaliação preliminar, como triagem, de plantas tóxicas. Deste modo, o uso de animais de laboratório atualmente permanece sendo a forma mais eficaz de identificação de novas espécies de plantas tóxicas.


Keywords


Plantas tóxicas; in vitro; Testes de toxicidade



DOI: https://doi.org/10.22456/1679-9216.15066

Copyright (c) 2018 Nebson Fernandes Pequeno, Benito Soto-Blanco

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.