Aprimoramento da PCR para Mycoplasma gallisepticum pelo encurtamento do "amplicon" e ajustes no processamento da amostra

Elmiro Rosendo do Nascimento, Maria da Graça Fichel do Nascimento, Maurício Pinheiro de Vasconcelos, Maria Lúcia Barreto, Juliana Ferreira de Almeida, Carlos Augusto de Martino Campos, Virginia Léo de Almeida Pereria

Abstract


A micoplasmose por

 

Mycoplasma gallisepticum (MG) causa enormes prejuízos aos avicultores e, apesar disto, ainda carece de aprimoramento diagnóstico. O diagnóstico molecular, principalmente PCR, tem sido aprimorado pela facilidade em detectar o agente de forma direta e ser um método rápido e eficaz. Neste estudo, desenvolveu-se uma PCR para MG com “amplicon” de 481 pares de base (pb), denominado MG-PCR/481, no qual se utilizou um método simples de processamento das amostras, constituídas de cultivos de diferentes cepas de MG e suabes de traquéia de galinhas poedeiras de um plantel positivo para MG. Esse processamento, que não incluiu a etapa de purificação de DNA, consistiu de tratamento das amostras com uma mistura de dois detergentes não iônicos, digestão com protease e calor. A eficácia do MG-PCR/481, cujos “primers” foram oriundos da porção interna de um fragmento de 732 pb de DNA de MG que havia sido usado previamente para a elaboração do MG-PCR/732, com processamento envolvendo as etapas de extração e purificação. MG-PCR/732 com esse método de processamento foi capaz de detectar consistentemente um número de células de MG equivalente a 5.4 x 102 e inconsistentemente, um positivo em cinco tentativas, em se tratando de quantias inferiores. Por outro lado, MG-PCR/481 foi um logarítimo mais sensível que o anterior, sob as mesmas condições. Com suabe de traquéia, em estudo piloto, o MG-PCR/481 com este método de processamento também funcionou, pelo resultado de 70/% (7/10) obtido para as aves testadas. O MG-PCR/481 foi mais sensível que o outro com “amplicon” de 732 pares de base (MG-PCR/732), mantendo a mesma especificidade. De acordo com esses resultados, o MG-PCR/481 é apresentado como mais uma opção ao diagnóstico molecular da infecção por MG.


Keywords


Galinhas; Micoplasmose; Mycoplasma gallisepticum; Diagnóstico; PCR; Amplicon



DOI: https://doi.org/10.22456/1679-9216.14974

Copyright (c) 2018 Elmiro Rosendo do Nascimento, Maria da Graça Fichel do Nascimento, Maurício Pinheiro de Vasconcelos, Maria Lúcia Barreto, Juliana Ferreira de Almeida, Carlos Augusto de Martino Campos, Virginia Léo de Almeida Pereria

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.