Biofilmes formados em matéria-prima em contato com leite: fatores de virulência envolvidos

Juliana Flach, Carolina Karnopp, Gertrudes Corção

Abstract


Biofilmes bacterianos representam uma preocupação à indústria de alimentos por sua potencialidade em resistir a tratamentos antimicrobianos, além de degradar e contaminar os alimentos com patógenos. O presente trabalho avaliou a relação entre fatores de adesão e hidrofobicidade celular na formação de biofilmes, bem como as atividades citotóxica e proteolítica de isolados bacterianos do biofilme. Corpos de prova compostos de polipropileno, aço inoxidável e pano de algodão foram imersos em leite

 

in natura, em diferentes condições de tempo e temperatura. Posteriormente, foram lavados com solução Salina Fosfatada Tamponada e submetidos à sonicação para remoção das células aderidas. Estas foram isoladas, identificadas e submetidas aos testes de produção de cápsula, fímbria, hemolisina, protease e determinação da hidrofobicidade celular. Dos 101 isolados obtidos, 57 foram Gram negativos e 44, Gram positivos; 52,5% foram produtores de cápsula, 49,4% de fímbria, 4,0% de fímbria tipo I, 53,5% de hemolisina e 20,2% de proteases. A maioria dos isolados teve hidrofobicidade celular elevada, e a associação entre presença de cápsula e adesão em pano de algodão foi estatisticamente significante. A presença de bactérias potencialmente patogênicos como Escherichia coli, Staphylococcus aureus e Staphylococcus coagulase-negativos, revela a necessidade do controle microbiológico já em nível de produção de leite, no sentido de evitar complicações à saúde pública.


Keywords


Biofilmes; Leite; Bactérias; Fatores de Virulência; Hidrofobicidade



DOI: https://doi.org/10.22456/1679-9216.14953

Copyright (c) 2018 Juliana Flach, Carolina Karnopp, Gertrudes Corção

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.