Pesquisa de criptococose em cães atendidos no Hospital de Clínicas Veterinárias da UFRGS, Porto Alegre, Brasil

Izamara Aparecida de Oliveira, Márcia de Oliveira Nobre, Laerte Ferreiro

Abstract


A criptococose, micose causada por espécies encapsuladas do gênero

 

Cryptococcus, acomete o homem e vários animais, podendo ocorrer em indivíduos imunocompetentes, mas freqüentemente está associada a um estado de comprometimento imunológico. A via mais freqüente de contaminação por esta levedura é a inalatória. Foi pesquisada a ocorrência do Cryptococcus em cães com sintomatologia respiratória e/ou neurológica, atendidos no Hospital de Clínicas Veterinárias da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). A amostragem foi composta por 112 cães. O exame direto foi realizado em apenas 17 amostras de líquido cefalorraquidiano (LCR), e o cultivo em ágar níger (Guizotia abissynica) a 37°C durante dez dias, a partir de secreção nasal (112), sangue total (112) e LCR (n=17). Para a aglutinação em látex (LA), utilizou-se o kit Crypto-LA (Wampole), para testar soro (n=112) e LCR (n=17). O teste também foi realizado com tratamento prévio com pronase em 36 amostras (32 soros e 4 LCR). Os resultados dos exames direto, cultivo e LA foram negativos para o Cryptococcus em todas as amostras testadas. Apesar da negatividade dos resultados desta amostragem, é plausível a expectativa da ocorrência da infecção pelo Cryptococcus posto que, existe uma população canina cons tantemente exposta ao risco de se contaminarem com propágulos fúngicos, presentes nos excrementos de pombos que coabitam, em grande número, na região de abrangência do estudo.


Keywords


Cryptococcus; Criptococose; Leveduras; Cães; Aglutinação em látex



DOI: https://doi.org/10.22456/1679-9216.14945

Copyright (c) 2018 Izamara Aparecida de Oliveira, Márcia de Oliveira Nobre, Laerte Ferreiro

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.