Uma proposta de taxonomia para a categorização das falhas no ambiente das cadeias de suprimentos

Autores

  • Mauricio Plaza-Carvajal Universidade Federal de Santa Catarina
  • Moisés Dutra Universidade Federal de Santa Catarina
  • Douglas Macedo Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.19132/1808-5245233.179-206

Palavras-chave:

Cadeia de suprimentos. Fluxos de informação. Falhas. Taxonomia.

Resumo

A questão informacional permeia as mais diversas áreas do conhecimento. Em relação ao ambiente industrial, elevados custos são imputados à indústria em virtude de deficiências no ciclo informacional e no de mercadorias. Falhas ocasionam interrupções e rupturas nesses ciclos, reduzindo a competitividade das organizações. O trabalho debruça-se sobre a possibilidade de categorizar essas falhas na cadeia de suprimentos. O objetivo principal é, a partir de um olhar da Ciência da Informação (CI), propor uma taxonomia para as falhas existentes, tendo por base os seguintes objetivos: (i) identificar as principais falhas nas cadeias de suprimentos evidenciadas na literatura; (ii) posicionar cada falha dentro do fluxo logístico e informacional, e (iii) agrupar, organizar e hierarquizar essas falhas. Trata-se uma pesquisa bibliográfica, exploratória e qualitativa. Os resultados obtidos permitem afirmar que existem diversas similaridades nos termos que definem os locais e a origem das ocorrências de falhas, assim como, a percepção de que, com base na taxonomia proposta, há elevados riscos de interrupções e rupturas na cadeia de suprimentos. Finalmente, com o trabalho, espera-se contribuir com a ampliação da compreensão das falhas que acometem diversas organizações e, igualmente, com a geração de conhecimento para discussões futuras que envolvam as cadeias de suprimentos e a Ciência da Informação. Há um vasto espaço de colaboração no que tange à questão informacional na cadeia de suprimentos, que ainda não está devidamente preenchido pela CI. Neste sentido, este trabalho pretende, também, contribuir para diminuir um pouco tal lacuna.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mauricio Plaza-Carvajal, Universidade Federal de Santa Catarina

Mestrando

Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação (PGCIN/UFSC)

Moisés Dutra, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutor

Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação (PGCIN/UFSC)

Douglas Macedo, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutor

Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação (PGCIN/UFSC)

Referências

AGUIAR, E. C. et al. Identificação dos riscos em cadeias de suprimentos: um estudo introdutório com empresas da região Sul do Brasil. Revista de Negócios, Blumenau, v. 19, n. 4, p. 64-83, 2015.

ALBANI, H. et al. Determinação de métricas e mapeamento de riscos para a análise de cadeias de suprimentos enxutas. Journal of Lean Systems, Florianópolis, v. 1, n. 1, p. 31-50, 2016.

ARAVECHIA, C. H. M.; PIRES, S. R. I. Gestão de cadeia de suprimentos e avaliação de desempenho. In: ENCONTRO NACIONAL DE PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO, 23., 2000, Florianópolis. Anais... Florianópolis: UFSC, 2000.

BLACKBURN, B. Taxonomy design types. AIIM E-doc Magazine, Maryland, v. 20, n. 3, p. 14-16, 2006.

BOWERSOX, D.; CLOSS, D. Logística empresarial: o processo de integração da cadeia de suprimentos. São Paulo: Atlas, 2001.

BRANSKI, R. M. O papel da tecnologia da informação no processo logístico: estudo de casos com operadores logísticos. 2008. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção) - Escola Politécnica, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2008.

BRÜNING, M. et al. Collaborative recovery from supply chain disruptions: characteristics and enablers. Research, Logistics & Production, [S.l.], v. 5, n. 3, p. 225-237, 2015.

CAMPOS, M. L. A.; GOMES, H. Taxonomia e classificação: a categorização como princípio. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 8., 2007, Salvador. Anais... [S.l.: s.n.], 2007. Disponível em: <http://www.enancib.ppgci.ufba.br/artigos/GT2--101.pdf>. Acesso em: 24 abr. 2017.

CAPAR, I.; ULENGIN, F.; REISMAN, A. A taxonomy for supply chain management literature. 2004. Disponível em: <https://a1papers.ssrn.com/sol3/papers.cfm?abstract_id=531902>. Acesso em: 4 out. 2016.

CARVALHO, R. A.; GATTS, C. E. N.; AZEVEDO JÚNIOR, D. P. Classificação de fornecedores por Fuzzy Logic. 1998. Disponível em: <http://www.abepro.org.br/biblioteca/ENEGEP1998_ART339.pdf>. Acesso em: 20 abr. 2017.

CHANDRA, C.; TUMANYAN, A. Supply chain system taxonomy: development and application. In: ANNUAL INDUSTRIAL ENGINEERING RESEARCH CONFERENCE, 12., 2003, Portland. Proceedings... Norcross: Institute of Industrial Engineers, 2003.

CHANDRA, C.; TUMANYAN, A. Information modeling to manage supply chain: problems taxonomy. In: ANNUAL INDUSTRIAL ENGINEERING RESEARCH CONFERENCE, 2004, Houston. Proceedings... Norcross: Institute of Industrial Engineers, 2004.

CHOPRA, S.; MEINDL, P. Gerenciamento da cadeia de suprimentos: estratégia, planejamento e operação. São Paulo: Prentice Hall. 2003.

CHRISTOPHER, M. Logística e gerenciamento da cadeia de suprimentos: criando redes que agregam valor. 2. ed. São Paulo: Cengage Learning, 2009.

COELHO, L. C; FOLLMANN, N.; RODRIGUEZ, C. M. T. O impacto do compartilhamento de informações na redução do efeito chicote na cadeia de abastecimento. Gestão & Produção, São Carlos, v. 16, n. 4, p. 71-583, 2009.

DUTRA, M. et al. Uma abordagem baseada em ontologias para a área de logística. In: ALMEIDA, F. A. S. et al. (Org.). Coletânea luso-brasileira IV: gestão da informação, inovação e logística. Goiânia: Senai, 2013. p. 533-560. Disponível em: <http://www.cdn.ueg.br/source/observatorio_inhumas/conteudoN/3320/CAP_21__UMA_ABORDAGEM_BASEADA_EM_ONTOLOGIA.pdf.pdf>. Acesso em: 20 abr. 2017.

FIGUEIREDO, S. O impacto da taxonomia nas empresas. Disponível em: <https://webinsider.com.br/2006/11/28/a-importancia-e-o-impacto-da-taxonomia-nas-empresas/>. Acesso em: 5 ago. 2016.

HENDRICKS, K; SINGHAL, V. Supply chain disruptions and corporate performance. In: GURNANI, H. et al. (Org.). Supply chain disruptions. London: Springer London, 2012. p. 1-19.

HILSDORF, W. de C. et al. Modelo para melhoria da integração da cadeia de suprimentos por meio da abordagem da gestão da qualidade. In: ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, 25., 2005. Porto Alegre. Anais... Porto Alegre: UFRGS, 2005.

HUDNURKAR, M. et al. Mufti-criteria decision framework for supplier classification in collaborative supply chains: buyer’s perspective. International Journal of Productivity and Performance Management, [S.l.], v. 65, n. 5, 2016.

LÓPEZ YEPES, J. Las bases de datos históricas. Anales de Documentación, [S.l.], v. 1, 1998. Disponível em: <http://revistas.um.es/analesdoc/article/view/3071/3041>. Acesso em: 20 abr. 2017.

MARTÍNEZ, A. et al. Las categorías o facetas fundamentales: una metodología para el diseño de taxonomías corporativas de sitios web argentinos. Ciência da Informação, Brasília, v. 33, n. 2, p. 106-111, 2004.

MEDEIROS, J. W. Taxonomia navegacional facetada: análise à luz dos princípios teóricos da classificação facetada. 2013. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) - Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2013.

MOREIRO GONZÁLEZ, J. A. La industria de los contenidos en la sociedad de la información: ventajas e inconvenientes para la actuación documental. 2002. Disponível em <http://buleria.unileon.es/xmlui/bitstream/handle/10612/1775/Moreiro.pdf?sequence=1>. Acesso em: 24 abr. 2017.

MORIGI, V. J.; SEMENSATTO, S.; BINOTTO, S. F. T. Ciclo e fluxo informacional nas festas comunitárias. Informação & Sociedade, João Pessoa, v. 16, n. 1, 2006.

REVISTA VALOR ADUANEIRO. Salvador: Mercatto di Ideias, 2013-2014. Trimestral.

ROJAS MESA, Y. De la gestión de información a la gestión del conocimiento. ACIMED, Ciudad de La Habana, v. 14, n. 1, 2006. Disponível em: <http://bvs.sld.cu/revistas/aci/vol14_1_06/aci02106.htm>. Acesso em: 20 abr. 2017.

SCHEIDEGGER, A. P. G. et al. Diagnóstico do gerenciamento da cadeia de suprimentos em um restaurante universitário através de estudo exploratório. Revista Produção Online, Florianópolis, v. 15, n. 1, p. 375-402, 2015.

SCHMIDT, W.; RAMAN, A. When supply-chain disruptions matter. Boston: Harvard Business School, 2012. Disponível em: <http://hbswk.hbs.edu/item/when-supply-chain-disruptions-matter>. Acesso em: 20 abr. 2017.

SELLITTO, M. et al. Análise de risco e classificação de fornecedores em uma cadeia de suprimentos. Engevista, Niterói, v. 15, n. 2, p. 202-213, 2012.

SNYDER, L. V. et al. OR/MS models for supply chain disruptions: a review. IIE Transactions, Norcross, v. 48, n. 2, p. 89-109, 2016.

SOARES, R. A. Gerenciamento da cadeia de suprimentos no setor automobilístico: análise e proposição de melhorias entre uma autopeças e fornecedores. 2007. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção) -Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção, Universidade Federal de Itajubá, Itajubá, 2007.

SODHI, M. S. et al. Researchers' perspectives on supply chain risk management. Production and Operations Management, Baltimore, v. 21, n. 1, p. 1-13, 2012.

TEIXEIRA, I. T. et al. A cadeia de suprimentos do setor de serviço: o caso de uma empresa de saúde. Gestão e Saúde, Brasília, v. 7, n. 1, p. 3-24, 2016.

TERRA, J. et al. Taxonomia: elemento fundamental para a gestão do conhecimento. [S.l.]: Terra Fórum Consultores,1998. Disponível em: <http://pessoal.utfpr.edu.br/mansano/arquivos/taxonomia.pdf>. Acesso em: 20 abr. 2017.

VAKHARIA, A. J. et al. Managing supply chain disruptions. Foundations and Trends, Technology, Information and Operations Management, Los Angeles, v. 2, n. 4, p. 243-325, 2009.

VALOR SETORIAL LOGÍSTICA. São Paulo: Valor Econômico, 2012. Anual.

VITAL, L. P. Recomendações para construção de taxonomia em portais corporativos. 2007. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) -Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação, Universidade Federal de Santa Catarina, 2007. Disponível em: <https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/89791/241712.pdf?sequence=1&isAllowed=y>. Acesso em: 20 abr. 2017.

VITAL, L. P. Taxonomia como elemento estruturante em portais corporativos. RDBCI: Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, v. 9, n. 2, p. 25-40, 2012.

VITAL, L. P.; CAFÉ, L. Proposta para o desenvolvimento de taxonomias em portais corporativos. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 16, n. 4, p. 42-54, 2011.

VITAL, L. P.; FLORIANI, V. M.; VARVAKIS, G. Gerenciamento do fluxo de informação como suporte ao processo de tomada de decisão: revisão. Informação & Informação, Londrina, v. 15, n. 1, p. 85-103, 2010.

VOGEL, M. Taxonomia: produto ou processo? 2010. Disponível em: <https://www.academia.edu/13763861/Taxonomia_produto_ou_processo>. Acesso em: 20 abr. 2017.

WOODS, E. The corporate taxonomy: creating a new order. KMWorld, Camden, v. 13, n. 7, 2004. Disponível em: <http://www.kmworld.com/Articles/Editorial/Features/The-corporate-taxonomy-creating-a-new-order-9566.aspx>. Acesso em: 20 abr. 2017.

YAMAOKA, E. J.; CARVALHO, I. M.; GAUTHIER, F. O. Taxonomia corporativa e aprendizagem organizacional: caminho para a ambidestria. In: SIMPOSIO SOBRE LA SOCIEDAD DE LA INFORMACIÓN, 10., 2012, La Plata. Anais... La Plata: Facultad de Informática, 2012.

Downloads

Publicado

2017-08-21

Como Citar

PLAZA-CARVAJAL, M.; DUTRA, M.; MACEDO, D. Uma proposta de taxonomia para a categorização das falhas no ambiente das cadeias de suprimentos. Em Questão, Porto Alegre, v. 23, n. 3, p. 179–206, 2017. DOI: 10.19132/1808-5245233.179-206. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/EmQuestao/article/view/71313. Acesso em: 29 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigo