Apresentação: Trabalhadores, sindicatos e a transnacionalização da militância

Maurício Rombaldi, Kimi Aparecida Tomizaki

Resumo


A ideia da internacionalização da luta contra o capital é parte marcante da história do movimento operário. A organização transnacional de trabalhadores não se restringe à atualidade, mas corresponde a um investimento político que remete às Internacionais Comunistas ocorridas no século XIX, as quais se constituíram como “eixo central do programa histórico de emancipação da classe trabalhadora” (Löwy, 1989). Desde a virada do século XXI, no entanto, a militância transnacional tem progredido substancialmente, por meio da elaboração de novas estratégias direcionadas para além dos padrões de mobilização e negociação tradicionalmente estabelecidos no nível nacional. Isso pode ser observado mediante uma série de estudos que tem apontado para o aumento do número de campanhas sindicais articuladas globalmente, visando à promoção de melhores condições de trabalho e a celebração de acordos junto a Empresas Transnacionais (ETNs) (Anner et al., 2014; Evans, 2014; Gray, 2009; Keida, 2006).


Palavras-chave


Sindicalismo. Transnacionalização. Precariado.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.1590/15174522-019004501

Visite nossa página no Facebook

 

ISSN impresso: 1517-4522

ISSN on-line: 1807-0337

Propriedade Intelectual: All content of the journal, except where identified, is licensed under a Creative Commons attribution-type BY-NC.