Ação coletiva transnacional na cadeia de confecção do vestuário e a questão de gênero

João Paulo Cândia Veiga, Katiúscia Moreno Galhera

Resumo


O objetivo central deste artigo é discutir os processos de transnacionalização sindical na confecção do vestuário. Tendo como estudo de caso a holding Inditex, proprietáriada segunda de uma das maiores multinacionais da indústria têxtil (Zara), partimos da hipótese de queos(as)trabalhadores(as) deste setor enfrentam um problema de ação coletiva ligado aos limites de suas próprias capacidades de agência. A partir de procedimentos de tipo qualitativo com métodos cruzados – surveys, entrevistas, levantamento bibliográfico e arquivístico– para São Paulo capital e tendo como comparação o desastre do edifício Rana Plaza, em Bangladesh, os resultados da pesquisa indicam que na confecção do vestuário, ao contrário de outros setores, a ação coletiva sindical se dilui em arranjos institucionais a partir de iniciativas multistakeholderque acabam por promover processos decisórios de cúpula, com implementação do tipotop-down, sem a influência e participação dos trabalhadores de base, exatamente aqueles que vivenciam a precarização e a violação dos direitos sociais e trabalhistas na cadeia do vestuário

Palavras-chave


GÊNERO

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.1590/15174522-019004506

Visite nossa página no Facebook

 

ISSN impresso: 1517-4522

ISSN on-line: 1807-0337

Propriedade Intelectual: All content of the journal, except where identified, is licensed under a Creative Commons attribution-type BY-NC.