Os acordos-marco internacionais e as alianças sindicais internacionais: instrumentos de uma necessária transnacionalização da militância sindical

Marc-Antonin Hennebert

Resumo


Diante da multiplicação atual dos instrumentos de responsabilidade social empresarial (RSE), o dispositivo frequentemente considerado mais avançado em matéria de defesa dos direitos dos trabalhadores consiste na negociação e na assinatura de acordos-marco internacionais (AMIs). Esses acordos, assinados conjuntamente por uma federação sindical internacional e pela direção de uma empresa multinacional, buscam garantir o reconhecimento de certos direitos sociais fundamentais em todas as operações de uma empresa em âmbito internacional. Baseado na análise dos casos de duas empresas norte-americanas que ratificaram AMIs, este artigo procura evidenciar a contribuição desse instrumento para a regulação social das multinacionais e esclarecer as condições de sua efetividade, assim como seus limites. Ambos os casos demonstram que a utilidade desses acordos repousa, acima de tudo, no modo como os atores sindicais se apropriam desse instrumento. Por fim, nosso estudo salienta a importância das alianças ou coalizões internacionais entre os representantes sindicais de uma mesma multinacional para acompanhar os acordos e lhes dar um sentido prático em sua realidade local.


Palavras-chave


Direitos dos trabalhadores. Sindicalismo transnacional. Empresas multinacionais. Responsabilidade Social Empresarial.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.1590/15174522-019004505

Visite nossa página no Facebook

 

ISSN impresso: 1517-4522

ISSN on-line: 1807-0337

Propriedade Intelectual: All content of the journal, except where identified, is licensed under a Creative Commons attribution-type BY-NC.