Poéticas da alteridade e visões da América do Sul e da Europa em Débarcadères, de Jules Supervielle

Augusto Darde

Resumo


Jules Supervielle foi um poeta uruguaio de expressão francesa. Iniciou a carreira literária nas primeiras décadas do século XX, em um momento chave da reflexão sobre o fazer poético. Assim, sua obra é marcada por um ambiente de rupturas estéticas. O livro Débarcadères, publicado em 1922, tematiza a viagem entre a América do Sul e a Europa, trazendo várias paisagens desse deslocamento através dos olhos de um eu-lírico viajante. O presente trabalho irá, em um primeiro momento, apresentar o percurso de formação de Jules Supervielle, destacando um de seus projetos com Débarcadères. Em seguida, será feita uma análise temática de alguns poemas para observar de que maneira seu eu-lírico desenvolve uma poética da alteridade, aproximando-se de uma reflexão moderna em poesia. Por fim, serão analisados poemas que tematizam espaços da América do Sul e da Europa, refletindo sobre as escolhas semânticas que separam os dois continentes.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.22456/2238-8915.76309

Direitos autorais 2017 Organon

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

E-ISSN: 22388915 / ISSN Impresso: 0102-6267

LICENÇA

Os artigos publicados na revista estão sob a Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional

INDEXADORES

  

     

   

 

Flag Counter