Imaginários de vida na paisagem atual de destruição generalizada

María Noel Lapoujade

Resumo


O propósito deste artigo é mostrar o papel da imaginação, das imagens e dos imaginários através dos meios eletrônicos como possíveis propostas em direção à vida livre e digna no marco dos tempos em que se vive de ódios destrutivos de absurda irracionalidade. O fio condutor é a noção de devir ao longo da história desde 3000 anos atrás, passando pela modernidade, pela pós-modernidade, por depois da pós-modernidade, e pelos dias atuais de 2017. A partir de minha perspectiva da Filosofia da Imaginação, das Imagens e dos Imaginários, proponho um enfoque interdisciplinar que mistura a filosofia com a física e a arte. Com base nisso tudo, introduzo a tese do estado atual “gasoso” das culturas, das sociedades e da vida humana.


Palavras-chave


Imaginação. Imaginários. Devir. Filosofia interdisciplinar. Relações gasosas.

Texto completo:

PDF (Español (España))




Intexto | E-ISSN 1807-8583

Classificação Qualis: B1 - Comunicação, Informação, História, Letras/Linguística  | B2 - Psicologia | B3 - Ciência Política e Relações Internacionais, Arquitetura, Urbanismo e Design, Ciências Ambientais, Interdisciplinar | B4 - Sociologia. 

Programa de Pós-graduação em Comunicação e Informação | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705 - Porto Alegre, RS, Brasil | E-mail: intexto@ufrgs.br

Membro da Associação Brasileira de Editores Científicos