A imagem além do tempo: a construção do imaginário do futuro nos produtos midiáticos

Eduardo Duarte, Nathan Cirino

Resumo


O imaginário tem servido à humanidade como uma grande fonte de especulações para o futuro. Ao longo dos séculos, invenções tidas como impossíveis se tornaram realidade e deixaram os papéis para assumir seus espaços físicos na vida cotidiana das pessoas. Seja nos desenhos de Da Vinci, na
literatura de Júlio Verne ou nos filmes de Méliès, a mídia de ficção científica tem servido como catalisadora para transformações reais da tecnologia e da sociedade, além de nos auxiliar a pensar o próprio presente com base nas nossas projeções do que está por vir. Este texto se debruça sobre o imaginário e algumas expressões midiáticas, em especial o cinema, para apontar uma perspectiva de interpretação de narrativas futurísticas que vai além de seu efêmero momento lúdico de fruição. O ato aparentemente simples de imaginar e
simular o futuro através das mídias, dessa forma, pode se revelar um forte exercício de ensaio da mente humana para aquilo que ela eventualmente alcançará.


Palavras-chave


Imaginário. Futuro. Cinema.

Texto completo:

PDF




Intexto | E-ISSN 1807-8583

Classificação Qualis: B1 - Comunicação, Informação, História, Letras/Linguística  | B2 - Psicologia | B3 - Ciência Política e Relações Internacionais, Arquitetura, Urbanismo e Design, Ciências Ambientais, Interdisciplinar | B4 - Sociologia. 

Programa de Pós-graduação em Comunicação e Informação | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705 - Porto Alegre, RS, Brasil | E-mail: intexto@ufrgs.br

Membro da Associação Brasileira de Editores Científicos