Comunicar riesgos en la sociedad de la incertidumbre

Carlos Lozano Ascencio, Márcia Franz Amaral

Resumo


Este texto oferece uma abordagem teórica para apoiar um modelo de Comunicação Social de riscos e incertezas que, por um lado, estruture os vários passos necessários para identificar e definir a comunicação de riscos e de incertezas e, por outro, examine o papel da comunicação em abordagens como a do Marco de Sendai para a Redução do Risco de Desastres. A cada época correspondem diferentes formas de perceber e prever a instabilidade social para denominá-la e construi-la de forma significativa como um espaço do entorno circundante que demanda a máxima atenção dos sujeitos. Atualmente, é comum que se fale dos riscos para caracterizar nossas sociedades, mas nesse tipo de generalização costuma-se referir a situações de instabilidade muito mais complexas do que parecem e que nem sempre foram capazes de serem controladas somente com a previsão. Os conhecimentos e tecnologias não têm reduzido os níveis de fragilidade social e, mais ainda, as apreciações que fazem os indivíduos sobre as situações instáveis costumam incrementar historicamente os níveis de vulnerabilidade real, sobretudo porque se deixam influenciar pelo ponto de vista dos principais mediadores sociais.

Palavras-chave


Comunicação. Riscos. Sociedade de incertezas. Marco de Sendai.

Texto completo:

PDF (Español (España))


DOI: http://dx.doi.org/10.19132/1807-8583201738.21-40



Intexto | E-ISSN 1807-8583

Classificação Qualis: B1 - Ciências Sociais Aplicadas, Interdisciplinar, e História | B2 - Planejamento Urbano e Regional | B3 - Antropologia/Arqueologia, e Administração, Ciências Contábeis e Turismo. 

Programa de Pós-graduação em Comunicação e Informação | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705 - Porto Alegre, RS, Brasil | E-mail: intexto@ufrgs.br

Membro da Associação Brasileira de Editores Científicos