A cisão discursiva do Pará nas campanhas televisivas do plebiscito em 2011

Evelyn Cristina Ferreira de Aquino, Netília Silva dos Anjos Seixas

Resumo


O estudo observou como se engendraram os discursos sobre a extensão territorial nas campanhas televisivas das frentes pró e contra a criação dos estados do Carajás e do Tapajós no plebiscito de 2011, no Pará. O Horário Gratuito de Propaganda Eleitoral ocorreu de 11 de novembro a 7 de dezembro daquele ano. Ao todo, 80 programas foram produzidos, veiculados  entre 12h e12h10 e entre 19h30 e 19h40. Neste estudo, trabalhamos com 20 programas, vistos a partir da análise do discurso na vertente dialógica de Mikhail Bakhtin e da disputa por legitimação e descredenciamento de discursos, de Eliseo Verón. A análise mostrou que as frentes de campanhas atualizaram discursos históricos sobre o reordenamento de territórios na Amazônia, vozes que debatem a unidade territorial e a reestruturação da região para o desenvolvimento.

Palavras-chave


Plebiscito no Pará. Discursos. Comunicação. Amazônia.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.19132/1807-8583201739.103-124



Intexto | E-ISSN 1807-8583

Classificação Qualis: B1 - Ciências Sociais Aplicadas, Interdisciplinar, e História | B2 - Planejamento Urbano e Regional | B3 - Antropologia/Arqueologia, e Administração, Ciências Contábeis e Turismo. 

Programa de Pós-graduação em Comunicação e Informação | Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Rua Ramiro Barcelos, 2705 - Porto Alegre, RS, Brasil | E-mail: intexto@ufrgs.br

Membro da Associação Brasileira de Editores Científicos