As paisagens coexistenciais interespecíficas, ou sobre humanos e não-humanos compartilhando espaços domésticos numa cidade amazônica

Flávio Leonel Abreu da Silveira

Resumo


O artigo propõe uma discussão teórica acerca das paisagens coexistenciais interespecíficas na urbe, voltando-se especialmente à morada humana. Esta é percebida como o lugar da convivência entre humanos e não-humanos – também se considera o seu entorno, onde aparecem os quintais/pomares e os espaços verdes habitados pela fauna silvestre urbana. A coexistência interespecífica contribui para a diversidade na conformação das paisagens citadinas, sendo que as ambiências domésticas – a localidade do espaço habitado/lócus da experiência íntima – permitem a humanos e não-humanos o compartilhamento de uma vida juntos a partir de diferentes formas de interações simbólico-práticas. As áreas verdes revelam-se lugares de interações interespecíficas diversas na urbe, figurando enquanto espaços de contato. Para as reflexões que proponho realizar, parto de minha experiência de coabitação com gatos domésticos e de meu ofício de etnógrafo que pesquisa as relações entre humanos e não-humanos em uma área verde na cidade de Belém (PA) na Amazônia.

Palavras-chave: Paisagens. Cidade. Habitat. Animais. Áreas verdes. Interespécies.

The Coexistent and Interspecific Landscapes or About Humans and Nonhumans Sharing Domestics Places in an Amazonian City 

Abstract

The paper proposes a theoretical discussion about the coexistent and interspecific landscapes at the urbis, regarding, specially, the human shelter. This is perceived as a place of coexistence between humans and nonhumans – its surroundings where there are yards/orchards and green spaces inhabited by urban wildlife is also considered. The interspecific coexistence contributes to the diversity in shaping cityscapes and the domestic ambiences - the location of the living space/locus of intimate experience - allow human and nonhuman sharing a life together, founded on different forms of symbolic and practical interactions. The green areas turn up in places of diverse and interspecific interactions at the urbis, constituting spaces of contact. Aiming at these reflections, I consider my own coexistence experience with domestic cats and my work as an ethnographer who studies the relationships between human and nonhumans in a green area in the city of Belém (PA) in Amazon.

Key words: Landscapes. City. Habitat. Animals. Green areas. Interspecies.


Texto completo:

288-315 PDF


Revista Iluminuras - Publicação Eletrônica do Banco de Imagens e Efeitos Visuais - NUPECS/LAS/PPGAS/IFCH/UFRGS

E-ISSN 1984-1191