Donamemoria.com, sem acento ou A Tonicidade das Lembranças

Mariana Pinto Vieira Vellinho

Resumo


O que constrói nossa verdadeira identidade artística? O instrumento do ator é seu corpo, este aglomerado de ossos, músculos, tecidos, membranas, cicatrizes e recordações. Imprimimos em nossos corpos (de maneiras diversas) as imagens que retemos daquilo que já fomos, que já vivenciamos, que de alguma maneira permitimos que nos ‘atravessasse’. Jorge Larrosa, em seu artigo “Notas sobre a experiência e o saber de experiência” diz que a velocidade com que nos são dados os acontecimentos e a obsessão pela novidade, pelo novo, que caracteriza o mundo moderno, impedem a conexão significativa entre acontecimentos. Impedem também a memória, já que cada acontecimento é imediatamente substituído por outro que igualmente nos excita por um momento, mas sem deixar qualquer vestígio.

 

 

 

 

 


Palavras-chave


Memória; autobiografia; experiência

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.