O ESTATUTO DO DUPLO EM TRÊS CONTOS DE LYGIA FAGUNDES TELLES

Antonia Marly Moura da Silva, Francisco Edson Gonçalves Leite

Resumo


Na literatura contemporânea, a fecundidade e formas de representação do mito do duplo evidenciam a evolução e a diversidade de traços que indicam uma percepção estratificada do sujeito e da realidade. Seguindo tal pensamento, objetiva-se, neste trabalho, analisar as configurações assumidas pelo mito do duplo nos contos “A caçada”, “A mão no ombro” e “O encontro” de Lygia Fagundes Telles, a partir de perspectivas conceituais sobre o duplo inscritas no mito, na cultura e na literatura. Na abordagem comparada dos contos, verifica-se que o duplo na ficção de Telles realça a difícil tarefa de constituição de uma identidade em um mundo atual instável e representa a crise identitária vivenciada pelo homem moderno, através da metáfora do ser duplicado. 


Palavras-chave


Duplo. Lygia Fagundes Telles. Contos.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2236-6385.67870



Indexadores:       

Site da UFRGS

Site do Programa de Pós-Graduação do Instituto de Letras

E-ISSN 2236-6385 (versão eletrônica)