ANÁLISE DO DISCURSO E LITERATURA: CENOGRAFIA E ETHOS COMO MECANISMOS DE LEGITIMAÇÃO ENUNCIATIVA

RITA DE CÁSSIA DIAS VERDI FUMAGALLI

Resumo


A união entre Análise do Discurso e Literatura mostra-se cada vez mais frutífera, uma vez que a AD fornece métodos teóricos eficientes para a análise de todo tipo de discurso, permitindo ir além dos limites linguísticos do texto, analisando-os mais profundamente. Nessa perspectiva, nosso estudo objetiva investigar a cenografia como elemento essencial no processo de construção do ethos discursivo do narrador no conto O Barril de Amontillado de Edgar Allan Poe, escrito em 1841 e publicado em livro em 1846. Privilegiamos como aporte teórico-metodológico a Análise do Discurso de linha francesa, em particular, os estudos propostos por Dominique Maingueneau (2005, 2008, 2012, 2013, 2015) sobre a noção de cenografia e de ethos discursivo identificados pelas marcas linguístico-discursivas presentes na narrativa em questão. O resultado desta análise se torna bastante relevante para entendermos como a cenografia contribui para legitimar um enunciado, tornando-se um elemento ativo e essencial no processo de construção da imagem de si no discurso narrativo. A pesquisa evidenciou que as cenografias instituídas pelos discursos no conto em análise influenciaram diretamente na construção da imagem do enunciador, ou seja, o “ethos assassino” do personagem Montresor. 


Palavras-chave


Narrativa literária; Cenografia; Ethos discursivo; O Barril de Amontillado.

Texto completo:

PDF




Indexadores:   

Site da UFRGS

Site do Programa de Pós-Graduação do Instituto de Letras

E-ISSN 2236-6385 (versão eletrônica)