"RECORDAÇÕES AGORA": LEITURAS DA MEMÓRIA NA POESIA DE ANTÓNIO CARLOS CORTEZ

Bruno Brizotto

Resumo


Em tempos de discursos que apontam para incertezas, esvaziamentos, crises, mortes, enfim, uma gama de indefinições que colocam em xeque nossas mais sólidas verdades, os estudos sobre memória apresentam-se como indispensáveis. A memória se constitui, dessa forma, como um recurso teórico-crítico altamente profícuo, na medida em que “é um fenômeno sempre atual, um elo vivido no eterno presente [...].” (NORA, 1993, p. 9). Buscando demonstrar a operacionalidade do conceito de memória, elegemos como objeto de análise o poema “Recordações agora”, presente em O nome negro, obra escrita pelo poeta e ensaísta literário português António Carlos Cortez (1976-), e publicada em 2013 pela Relógio D’Água Editores.

Palavras-chave


Memória; Identidade; Poesia lírica; António Carlos Cortez

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.22456/2236-6385.67570



Indexadores:       

Site da UFRGS

Site do Programa de Pós-Graduação do Instituto de Letras

E-ISSN 2236-6385 (versão eletrônica)