A LITERATURA ALEMÃ E A ENCENAÇÃO AUTORAL

Michael Korfmann

Resumo


O presente artigo analisa a literatura alemã sob a perspectiva da encenação autoral. Argumenta contra a tese de Jürgensen e Kaiser (2011) em que os autores concebem as práticas encenatórias autorais como processo de desilusão, que resultaria da perda em importância do escritor, a partir do século XVIII, como representante ou porta-voz da humanidade, de uma cultura nacional ou seu papel como ator influente na esfera social em geral. O artigo mostra ainda que a encenação autoral sempre foi um elemento inerente ao campo artístico e apenas se reconfigurou conforme as mudanças sociais e mediais e analisa tal prática em três fases históricas distintas: na pré-modernidade, na fase da diferenciação social por volta de 1800 e na contemporaneidade

Palavras-chave


encenação; autor; literatura alemã

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.22456/2236-6385.66779



Indexadores:       

Site da UFRGS

Site do Programa de Pós-Graduação do Instituto de Letras

E-ISSN 2236-6385 (versão eletrônica)