Dinâmica geoeconômica da cadeia produtiva da soja no sul do Maranhão

Roberto César Costa CUNHA, Carlos José ESPÍNDOLA

Resumo


O objetivo do presente artigo é identificar as combinações geográficas responsáveis pela dinâmica recente da cadeia produtiva da soja no território maranhense e a sua consolidação no mercado nacional e mundial. As excelentes condições edafoclimáticas, alto nível tecnológico e terras disponíveis, proporcionaram um aumento expressivo na produção dos grãos de soja no estado do Maranhão, alcançando o oitavo lugar no Brasil e o segundo no Nordeste. Nos dez anos últimos, a produção cresceu 110%, a produtividade 31% e a área de lavoura aumentou 300%. O sul maranhense é responsável por 92% da produção e 91% da área de soja. Cerca de 600 mil hectares são plantados com soja e dividem-se em quatro micro regiões edafoclimáticas (MREC’s): MREC 1 (Serra do Penitente); MREC 2 (Chapada do Gerais de Balsas); MREC 3 (Rio Coco); e MREC 4 (Ilha de Balsas). 


Palavras-chave


Cadeia Produtiva; Soja; Condições Edafoclimáticas; Sul do Maranhão; Fluxos; Formação Socioespacial.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


O BGG é uma publicação da Associação dos Geógrafos Brasileiros - Seção Porto Alegre

Endereço / Address:Rua Uruguai nº 35 sala 426, Centro

CEP: 90010-140 

Porto Alegre - RS - Brasil

Telefone / Phone: 55 51 3019-8190 

Contato/mail to: boletimgauchodegeografia@ufrgs.br