“Os segredos da carne”: o mercado atlântico das carnes secas e salgadas e a influência da matriz irlandesa de fabricação no extremo sul da América Latina (c. 1780 – c. 1820)

Jonas Moreira Vargas

Resumo


Durante o colonial tardio, Pelotas (no Rio Grande do Sul), Buenos Aires e Montevideu destacaram-se economicamente por reunirem vários estabelecimentos produtores de carne-seca destinados a abastecer a crescente demanda por alimentos que caracterizou o período. Mas antes disso, e utilizando-se de técnicas distintas, a Irlanda tinha notável importância na fabricação e comércio de carnes salgadas no Atlântico. O presente artigo busca demonstrar, dentro do contexto socioeconômico da época, a influência e a presença de irlandeses no Rio da Prata e Rio Grande do Sul, prontos a ensinarem os colonos locais, a disputa entre as matrizes irlandesa e nativa no preparo de carnes e a história de alguns dos investidores neste ramo de negócios.


Palavras-chave


Charque; Comércio atlântico, Rio da Prata

Texto completo:

PDF


Anos 90 - Revista do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Rio Grande do Sul