A primeira modernidade e seu contexto intelectual: subordinação política e mundialização

Rubens Leonardo Panegassi

Resumo


O objetivo deste artigo é circunscrever o contexto intelectual característico da formação do mundo moderno enquanto epaço de circulação de ideias e juízos diversos. Para isso, recuperamos o senso de ordem social próprio do imaginário europeu da primeira modernidade a partir de diferentes registros literários produzidos no contexto do Renascimento ibérico. Esta literatura nos remete ao ideário do cristianismo primitivo, referência intelectual coerente aos propósitos espirituais da mundialização levada a cabo por espanhóis e portugueses. Verificamos que embora as concepções etnológicas da primeira modernidade sejam tributárias do pensamento patrístico, encontram-se atreladas à experiência estatal moderna. Diante disso, cocluímos que a sujeição política foi a tônica dominante do fenômeno da mundialização.

Palavras-chave


Mundialização ibérica; Cristianismo primitivo; Subordinação política

Texto completo:

PDF


Anos 90 - Revista do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Rio Grande do Sul