O Rio de Janeiro sob schematas: as representações de Thomas Ender

Iohana Brito de Freitas, Marcos Felipe de Brum Lopes

Resumo


Em fins do século XVIII e início do XIX muitas foram as expedições científicas e filosóficas enviadas as terras de além mar, especialmente ao Rio de Janeiro, que se tornara parte fundamental do Império Português, centro de convergência de pessoas e mercadorias e um cenário promissor para a pena e o pincel dos artistas-viajantes. É neste contexto que direcionamos nosso olhar para os registros visuais de Thomas Ender – pintor enviado ao Brasil com a Expedição Científica Austríaca, em 1817 – refletindo sobre suas representações, esquematas e registros históricos, a fim de entender a imagem que se queria projetar do “exótico território”.

Palavras-chave


Thomas Ender; Artistas-Viajantes; Representações;

Texto completo:

PDF HTML


Universidade Federal do Rio Grande do Sul - ISSN 1984-5634