Clareamento de dentes tratados endodonticamente: uma revisão da literatura

Anna Schwendler, Juliana Nunes Rolla, Rafael Melara, Maria Carolina Guilherme Erhardt, Fábio Herrmann Coelho-de-Souza

Resumo


Na Odontologia contemporânea, a estética sofreu uma valorização significativa, ganhando destaque e importância. Nesse contexto, a beleza é influenciada pelo contorno, forma, simetria, alinhamento e, principalmente, pela cor dos dentes. O clareamento de dentes anteriores desvitalizados escurecidos tem se tornado uma terapia muito requisitada, uma vez que o escurecimento dos dentes é motivo de grande insatisfação por parte dos pacientes. Esta revisão de literatura tem como objetivo analisar os dados disponíveis na literatura sobre este assunto, uma vez que a associação entre o clareamento interno e a reabsorção radicular externa cervical é uma questão que ainda gera dúvidas na prática odontológica. O clareamento interno apresenta resultados esteticamente satisfatórios, no entanto, apresenta como possível efeito colateral a reabsorção radicular cervical externa, que prejudica ou até mesmo inviabiliza a permanência do elemento dental na cavidade bucal. A etiologia da reabsorção radicular externa relacionada ao clareamento é complexa, no entanto acredita-se que o agente clareador alcance os tecidos periodontais através dos túbulos dentinários, desnature a dentina, que passa a ser considerada um tecido imunologicamente diferente, sendo reconhecida como um corpo estranho e inicia uma reação inflamatória que resulta na perda localizada de tecido dental. Outra limitação do clareamento de dentes tratados endodonticamente é a recidiva da cor, ainda pouco compreendida. Apesar do clareamento de dentes desvitalizados ter um alto índice de sucesso e de sua natureza minimamente invasiva, os possíveis efeitos colaterais, tais como a reabsorção cervical externa e a recidiva de cor devem ser levados em consideração no momento de sua indicação.

Palavras-chave


Clareamento dental; Descoloração de dente; Reabsorção da raiz

Texto completo:

PDF


ISSN 0566-1854 / e-ISSN 2177-0018