Classificação de pacientes e carga de trabalho de enfermagem em terapia intensiva: comparação entre instrumentos

Patrícia Cabral Ferreira, Quênia Camille Soares Martins, Sueli Fatima Sampaio, Regimar Carla Machado

Resumo


Objetivos: Avaliar as médias da carga de trabalho de enfermagem obtidas por meio do Nursing Activities Score (NAS), bem como os extratos do grau de dependência de pacientes obtidos pelo Sistema de Classificação de Pacientes de Perroca.
Método: Estudo prospectivo realizado na Unidade de Terapia Intensiva de um hospital privado o qual é referência em oncologia. Os instrumentos foram aplicados diariamente em uma amostra de 40 pacientes, com permanência mínima de 24 horas.
Resultados: Foram realizadas 277 medidas dos instrumentos, sendo a média do NAS de 69,8% (±24,1) e de Perroca de 22,7% (±4,2). As horas de cuidados encontradas por meio da média do NAS foi quase o dobro daquelas estimadas pelo de Perroca, demonstrando uma diferença de 7,3 horas.
Conclusão: NAS como instrumento de medida direta da carga de trabalho de enfermagem apresentou-se mais adequado quando comparado ao instrumento de medida indireta de Perroca, na Unidade do estudo.
Palavras-chave: Enfermagem. Unidade de terapia intensiva. Recursos humanos de enfermagem.


Palavras-chave


Enfermagem; Unidade de Terapia Intensiva; Carga de trabalho; Recursos Humanos de Enfermagem.

Texto completo:

Português English


ATENÇÃO: AS SUBMISSÕES PARA A RGE DEVEM SER REALIZADAS NO SEGUINTE ENDEREÇO:

https://mc04.manuscriptcentral.com/rgenf-scielo

 
              

 SCImago Journal & Country Rank

 

ISSN 0102-6933 E-ISSN 1983-1447