Auto(trans)formação permanente com professores da eja ensino médio: diálogos problematizadores, amorosidade, rigorosidade e inovação

Larissa Martins Freitas, Celso Ilgo Henz

Resumo


Este trabalho objetiva apresentar reflexões sobre os desafios para a auto(trans)formação permanente com professores do Ensino Médio EJA, realizadas com estes profissionais durante uma pesquisa de dissertação de mestrado, concluída no ano de 2015. Metodologicamente, este estudo fundamentou-se em uma abordagem qualitativa do tipo estudo de caso (multicasos), porém também possuiu características de pesquisa-formação, uma vez que os sujeitos participantes da pesquisa se assumiram em processos de auto(trans)formação. Para a dinâmica dos encontros, utilizamos a metodologia dos Círculos Dialógicos Investigativo-formativos, inspirada nos Círculos de Cultura freireanos em aproximação com a pesquisa-formação (JOSSO, 2004, 2010). Constatamos que, na EJA, os docentes possuem um olhar diferenciado para os jovens estudantes e comprometem-se a refletir sobre seus quefazeres docentes com vistas a melhor acolher esses educandos e tornar o ensino na modalidade efetivamente significativo e mobilizador de aprendizagens. Dialogando com os professores da EJA, concluímos que são muitos os desafios que se colocam à auto(trans)formação permanente de docentes do Ensino Médio, com vistas a propiciar uma educação conscientizadora e libertadora que possibilite o ser mais tanto dos próprios docentes quanto dos estudantes, assim como percebemos que a EJA tem procurado caminhar nessa direção.


Palavras-chave


Auto(trans)formação permanente com professores; Ensino Médio EJA; Autonomia; Ação-reflexão-ação; Desafios.

Texto completo:

PDF