Blended Learning Potencializando a Aprendizagem da Estatística no Ensino Superior

Gabriela Machado Moura, Suzi Samá

Resumo


A velocidade e profusão de dados gerados pelas novas tecnologias exige dos profissionais das diversas áreas do conhecimento competência para organizar, analisar e interpretar dados. Além disso, a sala de aula tradicional de estatística não atende aos anseios e comportamentos das novas gerações que nasceram imersas nas tecnologias digitais. Neste sentido, o presente artigo tem por objetivo apresentar e avaliar a proposta pedagógica da Sala de Aprendizagem da Estatística planejada a partir da modalidade Blended Learning. Esta forma híbrida de ensino envolve a utilização de vídeos, jogos, simulações, coleta de dados, atividades em grupo e individualizadas, de forma a potencializar a aprendizagem dos conceitos de estatística. A partir da análise da opinião dos estudantes de graduação, realizada por meio de métodos qualitativos e quantitativos, constatamos que estes valorizaram a diversidade de suportes e estratégias pedagógicas utilizados ao longo da disciplina de Estatística.

Palavras-chave


Ensino de Estatística; Tecnologias digitais; Blended Learning; Teoria da Biologia do Conhecer; Ensino Superior

Texto completo:

PDF

Referências


Bacich, L., Moran, J. M. Aprender e Ensinar com foco na Educação Híbrida. Revista Pátio. n. 25, 2015.

Belloni, M. L. Educação a Distância. 4 ed. Campinas: Autores Associados, 2006.

Bittencourt, C. S., Grassi, D., Arusievicz, F., Tonidandel, I. Aprendizagem Colaborativa Apoiada por Computador. Revista Novas Tecnologias na Educação. v. 2, n. 1, março, 2004.

Chance, B., delMas, R. C., & Garfield, J. Reasoning about sampling distributions. In D. Ben-Zvi & J. Garfi eld (Orgs.), The challenge of developing statistical literacy, reasoning and thinking. Amsterdam: Kluwer, 2004, p. 295–323.

Fagundes, L., Sato L. S. e Laurino, D. L. Aprendizes do futuro: as inovações começaram. Coleção Informática para a Mudança na Educação, 2012. MEC.http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/me003153.pdf, maio.

Florêncio, P. H. B., Santos Neto, A. S., Dantas, M. J. P. Análise do problema de Monty Hall: um enfoque bayesiano. In: Simpósio Acadêmico de Engenharia de Produção. Universidade Federal de Viçosa, 2014. http://www.saepro.ufv.br/wp-content/uploads/2014.13.pdf, março.

Gal, I. Adult's Statistical literacy: Meanings, Components, Responsabilities. International Statistical Review, n. 70, 2002.

Garfield, J. B., Gal, I. Teaching and Assessing Statistical Reasoning. In: STIFFL, CURCIO, F. Developing Mathematical Reasoning in Grades K-12. USA: The National Council of Teachers of Mathematics,1999.

Heckler, V., Saraiva, M. F.O., Oliveira Filho, K. S. Uso de simuladores, imagens e animações como ferramentas auxiliares no ensino/aprendizagem de óptica. Revista Brasileira de Ensino de Física. v. 29, n. 02, 2007, p. 267-273.

Lefèvre, F., Lefèvre, A. M. C. Discurso do Sujeito Coletivo: um novo enfoque em pesquisa qualitativa. 2 ed. Caxias do Sul: Educs, 2005.

Markova, D. O natural é ser inteligente. São Paulo: Summus, 2000.

Marsh, G. E. II, Mcfadden, A. C. Y Price, B. Blended Instruction: Adapting Conventional Instruction for Large Classes. Journal of Distance Learning Administration, 4, n. 4, Winter 2003.

Mattar, J. Youtube na educação: o uso de vídeos em EaD, 2009. Disponível em: http://www.pucrs.br/famat/viali/recursos/vlogs/YouTube.pdf. Acesso em: março/2015.

Maturana, H. R.; Verden-Zöller. G. Amar e Brincar: fundamentos esquecidos do humano do patriarcado à democracia. 2 ed. São Paulo: Palas Athena, 2009.

Maturana, H. R., Varela, F. A árvore do conhecimento: as bases biológicas da compreensão humana. 5 ed. São Paulo: Palas Athena, 2005.

Mendonça, O. L.; Lopes, C. E. Modelagem Matemática: um ambiente de aprendizagem para a implementação da Educação Estatística no Ensino Médio. Boletim de Educação Matemática, v. 24, n. 40, dezembro, 2011, p. 701-724.

Moraes, M. C. O Paradigma Educacional Emergente. 13 ed. Campinas, SP: Papirus, 2007.

Moran, J. M. (2013) Novos modelos de sala de aula. Disponível em: http://www2.eca.usp.br/moran/wp-content/uploads/2013/12/modelos_aula.pdf, Acesso em: jun/2015.

Oliveira, S. Geração Y: o nascimento de uma nova versão de líderes. São Paulo: Integrara Editora, 2010.

Pascual, M. P. El Blended learning reduce el ahorro de la formación on-line pero gana en calidad. Educaweb, n. 69. Disponível em:

com/esp/servicios/monografico/formacionvirtual/1181108.asp. Acesso em: julho, 2003.

Pellanda, N. M. C. Maturana & a Educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.

Porciúncula, M. M. S, Samá, S. P. Teaching Statistics Through Learning Projects. Statistics Education Research Journal, vol. 13, nº 2, p. 177-186, 2014.

Samá, S. P.; Araújo, M. S.; Laurino, D. P. A Educação a partir da Biologia do Conhecer na Sociedade da Informação e Comunicação. In: I Seminário Internacional de Educação em Ciências, Rio Grande. I Sintec, v. II, 2011, p. 813-823.

Twigg, C.A. Improving Learning and Reducing Costs: Lessons Learned from Round I of the Pew Grant Program in Course Redesign, 2003. Disponível em: , Acesso em: julho, 2003.




Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO: teoria & prática. e-ISSN: 1982-1654 ISSN Impresso:1516-084X