TECNOLOGIAS MÓVEIS DE COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÃO: IMPACTOS NAS PRÁTICAS DOCENTES E DISCENTES

Maria de Faria Gomes, Hiolanda Ladislau Vieira, Rita Alves Luna

Resumo


Objetiva-se analisar impactos das Tecnologias Móveis Digitais de Informação e Comunicação, nos anos finais do ensino fundamental, de escolas públicas de um município do Vale do Aço. Trata-se de uma pesquisa de campo, fomentada pela FAPEMIG, aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa envolvendo seres humanos do Centro Universitário do Leste de Minas Gerais. Envolveu quatrocentos e sessenta e nove participantes, professores e alunos. Utilizou-se como instrumento um questionário online e impresso. Os dados da pesquisa apontaram para o protagonismo juvenil nas redes sociais, sendo o facebook o primeiro no ranking de interesse. Os dados revelam, também, que discussões sobre o uso das tecnologias como objeto e estudo e como ferramenta para aprender estão ausentes das práticas pedagógicas. Concluiu-se que as tecnologias digitais são subutilizadas, uma vez que não há integração com o currículo, nem tampouco há propostas de atividades colaborativas e interativas para os alunos.

Palavras-chave


Tecnologias móveis; Redes sociais.; Tecnologias e educação

Texto completo:

PDF

Referências


BAUMAN, Zygmunt: entrevista [out. 2015]. Entrevistador: Alberto Dines. São Paulo: Observatório da Imprensa. Disponível em: . Acesso em: 20 nov. 2015.

BELLONI, Maria Luiza. O que é mídia e educação. 3. ed. Campinas: Autores Associados, 2012.

CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

COMITÊ GESTOR DA INTERNET NO BRASIL (CGI). Pesquisa sobre o uso das tecnologias de informação e comunicação nas escolas brasileiras - TIC Educação 2014. 2015. Disponível em: . Acesso em 30 nov. 2015.

DANTAS, Hallysson Oliveira. Wikipédia e dicionário escolar: links entre o letramento digital e o letramento lexicográfico. In: ARAÚJO, Júlio César; DIEB, Messias. Letramentos na web: gêneros, interação e ensino. Fortaleza: Edições UFC. 2009. p. 210-234.

FERREIRA, Aurélio Buarque de Hiolanda. Novo Dicionário Aurélio da Lingua Portuguesa. São Paulo: Nova Fonteira, 1995. p.656.

FERREIRA, Sandra Patrícia Ataíde; DIAS, Maria da Graça B. B. Leitor e leituras: considerações sobre gêneros textuais e construção de sentidos. Psicologia: reflexão e crítica, vol.18, n.3, Porto Alegre, 2005. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/prc/v18n3/a05v18n3.pdf>. Acesso em: 20 nov. 2015.

KENSKI, Vani Moreira. Tecnologias e ensino presencial e a distância. Campinas: Papirus, 2010.

PRIMO, Alex. Interação mediada por computador: comunicação, cibercultura, cognição. Porto Alegre: Sulina, 2008.

ROSADO, Luiz Alexandre da Silva; TOMÉ, Vítor Manuel Nabais. As redes sociais na internet e suas apropriações por jovens brasileiros e portugueses em idade escolar. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Vol. 96, No 242 (2015). Disponível em: < http://rbep.inep.gov.br/index.php/RBEP/article/view/3246/0 >. Acesso em: maio 2015.

SNYDER, Ilana. Ame-os ou deixe-os: navegando no panorama de letramentos em tempos digitais. In: ARAÚJO, Júlio César; DIEB, Messias. Letramentos na web: gêneros, interação e ensino. Fortaleza: Edições UFC. 2009. p. 23-46.

SANTAELLA, Lúcia. A ecologia pluralista da comunicação: conectividade, mobilidade, ubiquidade. São Paulo: Paulus, 2010.

SANTOS, Glauber Eduardo de Oliveira. Cálculo amostral: calculadora on-line. Disponível em: . Acesso em: [data do acesso].

XAVIER, Antônio Carlos dos Santos. Letramento digital e ensino. 2005. Disponível em: . Acesso em: 21 mar. 2015.




DOI: http://dx.doi.org/10.22456/1982-1654.64225

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO: teoria & prática. e-ISSN: 1982-1654 ISSN Impresso:1516-084X