Revisitando a política nuclear dos governos de Richard Nixon e de Gerald Ford (1969-1977)

Leonardo Carvalho Leite Azeredo Bandarra

Resumo


Este artigo examina a política nuclear das administrações de Richard Nixon e Gerald Ford, por meio da análise de fontes primárias e secundárias sobre principais fatores internacionais e domésticos que as influenciaram. Argumenta-se que as diretrizes de longo prazo da política nuclear americana foram desenvolvidas nesse período, entre 1969 e 1977. Essas diretrizes podem ser divididas em três pontos principais. O primeiro é a plurilateralização do regime de não-proliferação nuclear e restrição do fornecimento de tecnologia de dual. Isso significou encontrar alternativas para instituições multilaterais existentes, por meio de negociações bilaterais de desarmamento com a URSS e por meio da criação de arranjos plurilaterais, como o GSN. O segundo ponto foi o compartilhamento da gestão da ordem internacional com poderes regionais, de modo a criar equilíbrio de poder favorável aos EUA. A última diretriz foi o aumento da competitividade das empresas americanas via privatização do setor nuclear. Este último ponto foi viabilizado na administração da Ford, dado o fracasso da iniciativa inicial de Nixon, e levou à consolidação de estrutura burocrática capaz de evitar mudanças drásticas na política de seguridade nuclear.


Palavras-chave


Governo Nixon; Governo Ford; Não-Proliferação Nuclear; Henry Kissinger; Política Nuclear; Distensão Nuclear; Nixon administration; Ford administration; Nuclear Non-Proliferation; Henry Kissinger; Nuclear Policy; Nuclear Deterrence

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2178-8839.72117

 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Attribution-ShareAlike 4.0 International License.

 

Conjuntura Austral - ISSN: 2178-8839

       UFRGS