MULHERES EM TRATAMENTO AMBULATORIAL POR ABUSO DE ÁLCOOL: CARACTERÍSTICAS SOCIODEMOGRÁFICAS E CLÍNICAS

Larissa Horta Esper, Clarissa Mendonça Corradi-Webster, Ana Maria Pimenta Carvalho, Erikson Felipe Furtado

Resumo


Estudo quantitativo e descritivo, com o objetivo de identificar características sociodemográficas e clínicas de mulheres em tratamento ambulatorial por abuso de álcool. Os dados foram coletados em prontuários de mulheres com transtornos relacionados ao álcool, atendidas em serviço psiquiátrico ambulatorial. Foi realizado levantamento, leitura e análise descritiva. A amostra foi composta por 27 prontuários, a média de idade das mulheres foi 50 anos, maioria
casada (59,6%), não trabalhava (70,4%), com ensino fundamental incompleto (70,4%), com familiar alcoolista (81,5%) e outros diagnósticos psiquiátricos (70,3%). Prejuízos físicos, sociais e emocionais mais frequentes foram: sintomas advindos da síndrome de abstinência alcoólica (66,7%), conflitos familiares (72%) e “tristeza” (79,2%). A violência familiar foi registrada em 11 prontuários (40,7%). Verificaram-se baixa escolaridade, desemprego, comorbidades psiquiátricas e presença de outro familiar com abuso de álcool como características comuns. Destaca-se a importância do conhecimento profissional sobre as peculiaridades do alcoolismo feminino para ações de saúde mais efetivas.

 


Palavras-chave


mulheres, saúde da mulher, alcoolismo

Texto completo:

PDF


ISSN 0102-6933 E-ISSN 1983-1447