Do moderno e do contemporâneo na arte brasileira

Maria de Fátima Morethy Couto

Resumo


Este artigo tem por objetivo discutir algumas das questões que marcaram o debate artístico brasileiro dos anos 1960/1970, momento em que, no campo internacional, questiona-se a validade dos paradigmas modernistas para a análise da produção contemporânea. Vivia-se então no Brasil sob forte repressão política, em função da ditadura militar, o que levou alguns intelectuais a defender que o artista de vanguarda deveria atuar um “guerrilheiro” no campo cultural. Por outro lado, jovens críticos buscavam compreender a especificidade da produção brasileira contemporânea, analisando sua relação com arte do passado mais recente.

Palavras-chave


Arte moderna brasileira; Arte contemporânea; Crítica de arte; Arte brasileira de vanguarda.

Texto completo:

PDF


ISSN da edição digital (e-ISSN): 2179-80011
ISSN da edição impressa (p-ISSN): 0103-72691