Ecos de Quintana na poesia contemporânea gaúcha

Marcelo Spalding

Resumo


Por ocasião do centenário de Quintana fui convidado a escrever uma reportagem para o Jornal da Universidade sobre a influência de Mario Quintana nos poetas gaúchos contemporâneos. Foram entrevistados oito poetas, todos radicados em Porto Alegre, e suas respostas foram muito semelhantes: sete dos oito havia lido toda obra de Quintana e o relia esporadicamente, mas nenhum soube apontar como essa leitura havia influenciado na sua obra, tampouco apontar essa influência em algum dos seus pares. O presente trabalho parte das respostas destes poetas para analisar as semelhanças de três poemas: “Os degraus”, de Mario Quintana, e dois poemas sem título, um de Fabrício Carpinejar e outro de Paula Taitelbaum, ambos publicados em livros do século XXI por poetas porto-alegrenses da novíssima geração. Se não poderemos concluir, devido a pequena amostra, que Mario Quintana é decisivo para os novos poetas, também não poderemos deixar de sentir nessa comparação ecos de Quintana na poesia contemporânea.

Palavras-chave: Mario Quintana, Fabrício Carpinejar, Paula Taitelbaum, poesia contemporânea, poesia porto-alegrense.

Texto completo:

PDF


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

Revista Nau Literária | ISSN 1981-4526 | Universidade Federal do Rio Grande do Sul